Prémios de Música Blitz 97 – Data: 1998

Na verdade, revelação em duplicado. Foram, no passado dia 16, apresentados os nomeados em todas as categorias para a edição deste ano do BLITZ — Prémio de Música; todas à excepção do Prémio Carreira, que nomeados não tem por ser uma atribuição directa da redacção deste jornal — a revelação dos vencedores, essa, só terá lugar no dia 21 de Abril, na cerimónia de entrega dos BLITZ 97, a ter lugar no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

Para além de indústria e público consumidor se terem juntado no dia 16, o rés-do-chão do edifício da RDP serviu ainda para albergar, em estreia mundial absoluta, a primeira (perdoai a redundância) prestação ao vivo dos Ithaka, projecto liderado por Darin Pappas, ou Korvorowng, conforme é conhecido na sua faceta musical.

Pela primeira vez aberta ao público exterior àquilo que normalmente se entende por «meio musical», a cerimónia de apresentação dos nomeados aos BLITZ deste ano estendeu-se ao longo de duas horas, transmitidas em directo via rádio, compostas, para além da revelação dos nomes apurados para a fase final do evento, por intervenções várias de gente da indústria musical, jornalistas, relatos das reacções na Internet (através de um canal de IRC posto à disposição para o efeito) aos nomes que iam desfilando, música dos nomeados e, na tal estreia mundial, três «sets» a cargo dos Ithaka. O reconhecimento de que estamos perante um evento de incontornável importância no panorama musical nacional pautou também grande parte das intervenções, tendo ficado no ar um desejo, que se diria colectivo, no sentido de que o BLITZ — Prémio de Música cresça ininterruptamente, de resto como a própria indústria tem vindo a crescer gradualmente ao longo dos últimos anos.

Conduzida por Alvaro Costa e Henrique Amaro, dois afamados radialistas da Antena 3 que assim preencheram as duas horas de emissão que realizam de segunda a sexta-feira («Drive In» o primeiro, «100%» o segundo), a cerimónia do passado dia 16 chamou aos microfones, para apresentações de nomeados e considerações várias, por ordem de entrada em cena, Brion Jackson (vocalista dos Primitive Reason), Vítor Março’ (da União Lisboa), Eduardo Simões (da Associação Fonográfica Portuguesa), Anabela Roque (da promotora de espectáculos R&B), Fernando Ribeiro (vocalista dos Moonspell), Rui Monteiro (director do BLITZ), Jorge Alexandre Lopes (director da Antena 3), Pedro Abrantes (da TSF), Miguel Gaspar (do Diário de Notícias), Sérgio Godinho (não o cantor, mas um dos elementos do público cujo nome é igual ao do artista nomeado para os BLITZ 97) e Chris Eckman (vocalista dos Waikabouts, que até quarta-feira passada esteve em Portugal para produzir o grupo norueguês Midnight Choir, que esteve em gravações nos estúdios da Velentim de Carvalho em Paço d’Arcos).

Por esta altura não será descabido relembrar a lista completa das nomeações para os BLITZ 97 — Prémio de Música.

Aí vai:

Álbum do Ano Nacional — «Missão Groove», dos Cool Hipnoise; «Bocas do Inferno», dos Gaiteiros de Lisboa; «Stellafly», dos Ithaka; «Domingo no Mundo», de Sérgio Godinho; e «Dados Viciados», dos Xutos & Pontapés; Grupo do Ano Nacional — Blasted Mechanism, Clã, Cool Hipnoise, Ithaka e Xutos & Pontapés;

Artista do Ano Nacional — Alex FX, Amália Rodrigues, General D, João Afonso e Sérgio Godinho; Melhor Voz Masculina Nacional — Adolfo Luxúria Canibal (Mão Morta), Darin Pappas (Ithaka), João Afonso, Sérgio Godinho e Tim (Xutos & Pontapés);

Melhor Voz Feminina Nacional —Manuela Azevedo (Clã), Marta Dias, Né Ladeiras, Teresa Salgueiro (Madredeus) e Viviane (Entre Aspas); Revelação Nacional — Blasted Mechanism, João Afonso, Mind Da Gap, Ornatos Violeta e Tim Tim Por Tim Tum; Canção Nacional —«Trace», dos Blind Zero; «Problema de Expressão», dos Clã; «Todagente», dos Da Weasel; «Uma Pequena Flor», dos Entre Aspas; «Seabra Is Mad», dos Ithaka; e «Dá Um Mergulho», dos Xutos & Pontapés;

Álbum do Ano Internacional — «Homogenic», de Bjork; «The Fat Of The land», dos Prodigy; «OK Computer», dos Radiohead; «Urban Hymns», dos Verve; e «The Will To Live», de Ben Harper; Grupo do Ano Internacional — Portishead, Prodigy, Radiohead, U2 ‘e Verve;

Artista do Ano Internacional —Ben Harper, Bjork, David Bowie, Erykah Badu e Nick Cave; Melhor Voz Masculina Internacional Ben Harper, Bono (U2), Nick Cave, Richard Ashcroft (Verve) e Thom Yorke (Radiohead);

Melhor Voz Feminina Internacional — Beth Gibbons (Portishead), Bjork, Erykah Badu, Heather Small (M-People) e Nina Miranda (Smoke City); Revelação Internacional — Alpha, Daft Punk, Erykah Badu, Finley Quaye e Smoke City;

Canção Internacional — «Stand By Me», dos Oasis; «Smack My Bitch Up», dos Prodigy; «Karma Police», dos Radiohead; «Underwater Love», dos Smoke City; «Discotheque», dos U2; e «Bittersweet Symphony», dos Verve.

Já em período de contagem de espingardas, foi anunciado parte do elenco que subirá ao palco este ano para abrilhantar a cerimónia de entrega dos BLITZ 97 — Prémio de Música.

Sabe-se já que, para além dos Ithaka — que voltam a associar-se ao BLITZ nesta iniciativa —, estarão presentes nomes como Xana (que acaba de editar o seu segundo álbum de originais, «Manual de Sobrevivência»), Da Weasel (expoente incontornável do hip-hop «made in Portugal»), Ornatos Violeta (revelação do ano que pas-sou, graças ao álbum «Cão»), Silence 4 (um colectivo que o BLITZ começou por destacar e que assinou recentemente contrato com a Polygram), Zen (outra revelação, esta do rock, com espectáculos plenos de competência e pujança), Boss AC ( mui talentoso rapper de quem se espera a todo o momento o álbum de estreia) e a Cool Train Crew (colectivo de Ws que anima regularmente o Ciclone com os aparentados do jungle/drum’n’bass).

Estamos, portanto, à espera de dia 21 de Abril.

In Blitz

 

Partilha este artigo via:

Entra na toca da doninha.
Junta-te ao clube de fãs oficial